Para tentar compensar a inflação, Venezuela aumenta o salário mínimo (de novo)

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou quarta-feira um novo aumento do Salário Mínimo, de 103,7%, naquele que é o quarto ajuste salarial este ano. Na prática, os venezuelanos vão receber, segundo Nicolás Maduro, 3.000.000 de bolívares de salário e 2.196.000 em subsídios.

“Deve proceder-se de maneira imediata ao ajustamento de todas as tabelas aos trabalhadores”, disse o chefe de Estado, precisando que os médicos, professores, militares e policiais vão ter também um aumento de 200%.

Durante um ato com simpatizantes do regime, Nicolás Maduro aproveitou para voltar a responsabilizar a oposição e os empresários pela crise no país, que atribui a uma “guerra econômica” fomentada por governos estrangeiros.

Segundo o parlamento venezuelano, onde a oposição detém a maioria, os preços dos produtos aumentam diariamente 2,4% na Venezuela, país onde em maio último a inflação foi de 110%. O parlamento projeta ainda que no fim de 2018 a Venezuela terá acumulado uma inflação anual de 25000%.

Os venezuelanos precisam de mais de um salário mínimo para comprar um quilograma de carne ou meio quilograma de café.

Anúncios