EUA anunciam que não mais fazem parte do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas

“Não duvidamos de que a sua criação tenha sido de boa-fé, mas temos de ser honestos: o Conselho de Direitos Humanos é um pobre defensor dos direitos humanos”, afirma Mike Pompeo, secretário do Estado americano, em entrevista coletiva a respeito do desembarque dos EUA do Conselho de Direitos Humanos nesta terça-feira (19 de junho).

Washington já havia se manifestado há um ano contra a forma como o órgão internacional procedia, renegando Israel e servindo como plataforma para China, Venezuela e Cuba, segundo sua manifestação àquela altura. Os EUA haviam pedido uma reforma do Conselho e não tiveram apoio de país algum.

Este de fato é o terceiro movimento do governo Trump contra a corrente multilateralista, tendo os americanos já deixado o acordo climático e o pacto nuclear com o Irã. No entanto, a verdade é que o presidente norte-americano não está nada menos do que cumprindo com as suas promessas eleitorais. O que mais estará por vir?

Anúncios