Depois das tarifas, Trump fala de zona de livre-comércio na reunião do G7

A sessão da cúpula do G7 deste sábado (09/06), no Canadá, começa sob uma atmosfera mais tranquila do que se pensava. Isto não quer dizer que não haja enormes divergências entre os participantes, principalmente após o presidente norte-americano Donald Trump irritar todos seus parceiros na semana passada ao confirmar a aplicação de tarifas sobre as importações de aço e alumínio do Canadá, da União Europeia e do México.

Essa política comercial faz parte da agenda America First (América Primeiro, em tradução livre) proposta por Trump durante a sua campanha à presidência, a qual não há o menor sinal de que ela será abandonada. Sobretudo, o presidente norte-americano acredita que o comércio atual não é justo e aproveitou a cúpula para instigar o debate por uma relação comercial saudável para todos.

Entretanto, além de proclamar que todos devem participar de “debates extremamente produtivos sobre a necessidade de haver trocas comerciais justas”, Trump também provocou surpresa ao convidar seus parceiros a refletir sobre a criação de uma “zona de livre-comércio saudável”.

Mais informações aqui.

 

Anúncios